NOTA CONTRA O CONTINUÍSMO NA PRF

NOTA CONTRA O CONTINUÍSMO NA PRF
CNM – SISTEMA SINDICAL PRF

A Comissão Nacional de Mobilização, legitimamente eleita pelo Conselho de Representantes, tem realizado diversas reuniões com a Assessoria Especial do Ministro e com o próprio Ministro da Justiça, no intuito de defender os anseios dos sindicalizados por uma NOVA PRF por meio de uma gestão eficiente e eficaz, otimizando os recursos de que dispõe, no sentido de valorizar os seus policiais, bem como promover o trabalho em prol de uma prestação de serviço de excelência à sociedade brasileira. O trabalho que vem sendo construído entre o Ministério da Justiça e a CNM continua, de modo que teremos uma audiência marcada com o Ministro José Eduardo Cardozo no dia 25 de abril de 2011.

As tratativas com o Ministério da Justiça se pautam em conceitos e dados técnicos e, quando a categoria solicita a mudança da gestão, não está falando apenas de mudanças de nomes, mas de mudanças de idéias, de paradigmas, de metodologias. É de conhecimento público que a exposição da Polícia Rodoviária Federal na mídia levou Sua Excelência o Ministro da Justiça a efetuar algumas mudanças de nomes, tendo sido nomeada uma Diretora Interina. Também é de conhecimento público que a Diretora Interina é indicada pelo ex-Diretor e representa um continuísmo da desastrosa gestão anterior.

Os sindicatos mobilizados por uma NOVA PRF vêm a público deixar clara a posição do sistema sindical da PRF contra o continuísmo, pois está evidente que a mudança na Direção-Geral foi apenas de nomes, e não de modelo de gestão. A bem da verdade, todos estão conscientes de que nada mudou, pois apesar de exonerado, o Ex-Diretor continua frequentando a sede do DPRF mais do que quando estava na ativa.

A tentativa da atual Direção-Geral em demonstrar que tem o apoio dos sindicatos federados é execrável, pois não condiz com a verdade. Lamentavelmente, o Presidente da FENAPRF marcou reunião entre a Diretora Interina e o sistema sindical para o dia 14 de abril. Essa atitude unilateral e dissonante dos anseios da categoria soou como traição por parte do Presidente da FENAPRF aos 23 sindicatos mobilizados. Por este motivo, houve um boicote a esta reunião, até mesmo porque não havia sequer pauta. Com a possibilidade de ver a aparência de proximidade com o sistema sindical ruir por causa do boicote, a reunião foi cancelada e remarcada para o dia 18 de abril, data esta em que a CNM estaria em reunião com a assessoria do Ministério da Justiça a fim de lapidar a proposta de plano de gestão sindical para o DPRF, que será levado ao Ministro da Justiça em 25 de abril.

Mais uma vez falhou a tentativa de demonstrar ao Ministério da Justiça uma falsa harmonia entre a atual gestão continuísta e o sistema sindical, tendo em vista que somente compareceram à reunião com a atual diretora seis sindicatos federados ( PA, SP, SC, PR, PI e ES ) de um total de 24. Sem fotos, sem notícias, sem firulas, a atual diretora e o atual presidente da FENAPRF, até o momento, isolados, fingem que nada aconteceu.

O Sistema Sindical da PRF quer deixar claro ao efetivo e ao público externo que mudanças de nomes, sem mudança de mentalidade, na gestão do DPRF são medidas ineficazes. Não estamos no país das maravilhas, mas parece que estamos vivendo um faz de conta. Infelizmente não estamos num conto de fadas e o Final Feliz depende do esforço e abnegação de todos nós. Ressaltamos que progressos têm sido realizados, até por conta do efeito da ação da mídia e consequente pressão popular. Velhos caciques têm sido exonerados, porém continuam lutando dia e noite para fazer seus sucessores.

Por enquanto não temos nenhuma mudança real, salvo a possibilidade de mudança que está sendo avaliada pelo Senhor Ministro da Justiça, Dr. José Eduardo Cardozo. E é justamente por esse motivo que a categoria, através de seus representantes, continua depositando confiança nas negociações, acreditando que a razão prevalecerá contra a ingerência política nociva.

A PRF precisa e deseja uma liderança técnica alinhada com o que há de mais hodierno na administração pública nacional. A categoria não permitirá que os interesses privados de uma minoria se sobreponham aos interesses públicos, e assim sendo continuará apontando todos os erros, abusos, assédios morais e absurdos do continuísmo de uma velha gestão anacrônica que quase levou o DPRF ao colapso. O diálogo segue com o MJ, pois ainda se acredita que há vontade de construir uma NOVA PRF por parte dos nossos governantes, assim como há pela categoria.

Comissão Nacional de Mobilização – CNM
Sistema Sindical da PRF

One comment on “NOTA CONTRA O CONTINUÍSMO NA PRF

  • Osvaldo Souza diga:

    Continuismo?!, hahahahahah!!!. Esse pessoal da C.N.M. está “escorregando na maionese”!!!. Enquanto a grande maioria dos brasileiros(segundo o censo de 2005, em torno de 68%) deixarem de serem ANALFABETOS FUNCIONAIS(lê e escreve mas não tem discernimento), haverá o CONTINUISMO não só na PRF, mas também na política, obviamente com a “PTzada” e “PMDBzada” dando as cartas no País e, inclusive na PRF
    ACORDA BRASILSILSIL…!!!.
    Saldações PeReFeanas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar HTML tags e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

code